CDL CG: 150 lojas não abriram suas portas, após fechamento na pandemia

A CDL CG – Câmara de Dirigentes Lojistas de Campo Grande tem acompanhado a situação do comércio ao longo dos dias que o decreto fechou as portas. Mesmo sem dados oficiais, pois as empresas precisam cumprir a parte burocrática de fechamento efetivo de suas atividades, mais de 100 já declaram que não possuem condições de reabrirem.

Das 500 empresas consultadas pela CDL CG, 150 declaram que vão fechar. Das 350 restantes, 130 vão reduzir ao máximo seu número de funcionários, visando evitar o fechamento. As outras 100 empresas não sabem qual caminho será tomado e aguardam os próximos dias para uma definição.

Para o presidente da CDL CG, Adelaido Vila, o levantamento é preocupante. “É um setor que vem de uma grave crise econômica, muitos passaram pela reforma na região central e estão enfrentando mais esta crise ocasionada pela pandemia do COVID-19. Somos lojistas e também estamos sentido na pele o fechamento do comércio. E, a CDL CG tem dado o apoio necessário ao associado, seja com orientações jurídicas, ou mesmo de mercado, para que possam buscar soluções que tragam resultados imediatos, para uma sobrevivência neste momento”.

Adelaido ressaltou que a CDL CG tem acompanhado a situação dos lojistas da capital. “Vamos continuar unindo forças e lutando para garantir a sobrevivência do nosso setor. Somos geradores de emprego e renda e a única coisa que queremos é poder abrir nosso comércio e trabalhar, seguindo as medidas de biossegurança, que são tão necessárias neste momento”.